marina, minha namorada, além de amor, introduz em casa muitas coisas do sul. ela é de lajeado (RS) e me apresenta não só aos doces e mimos mandados pela sogra, mas também muitas expressões idiomáticas que eu adoro. em troca, além de amor, vou dizendo pra ela coisas do nordeste que ela nunca tinha ouvido... parece às vezes que são dois países diferentes. ela nunca tinha comido carne de sol ou sabia o que era tutu (você sabe, né?), o que para a gente daqui de Brasília parecia muito engraçado.

nesse clima, fiz uma música sobre algumas dessas coisas que trocamos. chama-se TU e entrará no próximo disco. agora ela já sabe o que é mungango e biloca e talvez reconheça uma ingazeira, buriti e umbu, que parece um butiazinho...  

ps - hoje soubemos que a música está concorrendo em um festival da Rádio Nacional daqui de Brasília. 

 

TU

Túlio Borges

Se tu fosse umbu num te largava
Se fosse um mungango eu te juntava
Se fosse um pombinho eu criava
Se fosse de aço eu torava
Não fosse bem certa eu acertava
O que tu vendesse eu comprava
Se fosse biloca eu roubava

Se tu no Big Brother eu votava
No pasto da fazenda eu aboiava
Se um butiazinho eu plantava
Se tu buriti eu te cascava
Se tu melancia eu gostava
Se tu fosse nata eu adorava
Se tu Häagen-Dazs eu te amava

Mas tu é tu e tu é melhor
É melhor que a sombra da ingazeira
Mais perfume que manga na mangueira
Mais amor que amora na amoreira
Meu ouro incrustado do sertão
Minha prata gaúcha brasileira

 

na gravação: valério xavier (percussão), oswaldo amorim (baixo), cacai nunes (viola caipira) e eu no tímido violão.

1 Comment